Dieta vegetariana pode prevenir uma em cada três mortes prematuras

Tempo de leitura: 4 minutos

Segundo um novo estudo da Universidade de Harvard, nos EUA, um terço de todas as mortes prematuras poderia ser evitada por uma dieta vegetariana. Estas descobertas indicam que temos subestimado enormemente os benefícios de uma dieta baseada em vegetais.

 

 

Os resultados da pesquisa foram apresentados na Quarta Conferência Internacional do Vaticano na Cidade do Vaticano, pelo investigador Dr. Walter Willett, professor de epidemiologia e nutrição da Faculdade de Medicina de Harvard.

Informação exclusiva Importante:

Hoje o melhor programa de emagrecimento foi intitulado de Dieta de 21 Dias do Doutor Rodolfo Aurélio, que foi considerado uma das maiores descobertas científicas da atualidade na industria do emagrecimento. Para conhecer acesse Aqui.

Willett disse na conferência que “acabamos de fazer alguns cálculos olhando para a questão de quanto poderíamos reduzir a mortalidade ao mudar para uma dieta saudável, mais baseada em vegetais, não necessariamente totalmente vegana, e as nossas estimativas são de que cerca de um terço das mortes precoces poderia ser evitada”.

 

Por exemplo, enquanto dados recentes britânicos sugeriam que 141.000 mortes por ano na Grã-Bretanha eram evitáveis, a nova pesquisa de Harvard produziu um número maior: cerca de 200.000 vidas poderiam ser salvas a cada ano no Reino Unido se as pessoas removessem carne de suas dietas, segundo o The Telegraph.

“Não estamos a falar de fazer atividade física ou de não fumar. Estamos a falar de qualquer morte, não apenas por cancro. E esse número é provavelmente subestimado, já que não tem em conta a obesidade, um fator importante”, acrescentou Willett.

DOWNLOAD GRÁTIS 

RECEITAS PODEROSAS PARA EMAGRECER

 

Segundo o cientista, a dieta saudável está relacionada a um risco menor de quase tudo, o que talvez não seja surpreendente, “porque tudo no corpo está ligado pelos mesmos processos subjacentes”, disse.

O professor britânico David Jenkins, da Universidade de Toronto, no Canadá, também falou na conferência sobre a subestimação dos benefícios do vegetarianismo. Jenkins desenvolveu o índice glicémico que ajuda a explicar como os hidratos de carbono causam impacto no açúcar no sangue.

Jenkins acredita que seríamos mais saudáveis se seguíssemos uma dieta “simiana”, semelhante à dos gorilas que comem caules, folhas, vinhas e frutas, em vez de uma dieta paleo ou do homem das cavernas, que corta hidratos de carbono, mas permite carne.

Um estudo recente da Universidade de Toronto, por exemplo, descobriu que uma dieta vegetariana pode reverter certos problemas de saúde com as mesmas margens de sucesso de medicamentos comummente usados, chamados estatinas.

 

A equipe de Jenkins fez uma parceria com o The Bronx Zoo em Nova Iorque e viajou para a África central para registar os hábitos alimentares dos gorilas.

Quando recriaram a dieta para seres humanos – que chegou a 63 porções de frutas e vegetais por dia -, descobriram que houve uma queda de 35% no colesterol em apenas duas semanas, o equivalente a tomar estatinas.

No geral, não havia diferença entre seguir essa dieta ou tomar o medicamento. Milhões de pessoas são elegíveis para tomar estatinas a fim de evitar doenças cardíacas, o que equivale à maioria dos homens com mais de 60 anos e a maioria das mulheres com mais de 65 anos.

A dieta, além de igualmente eficaz, não tem os efeitos colaterais do medicamento.

O Dr. Neal Barnard, presidente do Comité para a Medicina Responsável, acrescentou que as pessoas têm de despertar para os benefícios do vegetarianismo e do veganismo para a saúde.

“Acho que as pessoas imaginam que uma dieta saudável tem apenas um efeito modesto e uma dieta vegetariana pode ajudá-las a perder um pouco de peso. Mas quando essas dietas são construídas corretamente, penso que são extremamente poderosas”.

Barnard afirma que uma dieta vegana com baixo teor de gordura é a mais eficiente para melhorar a diabetes, por exemplo. No que diz respeito a doenças inflamatórias como a artrite reumatoide, estudos também veem um tremendo potencial.

Uma dieta basicamente vegetariana é benéfica em parte por causa do que evitamos – como a carne – e por causa do colesterol, mas também por todos os nutrientes mágicos presentes nos vegetais e frutas que simplesmente não são encontrados noutras fontes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *